Tântrico

Disperso ao vento,

Absorvo teu cheiro,
feromonial desejo,
que a pulsar, latejo
a esgueirar-me
pelas curvas 
e precipícios
de tua sinuosa 
geografia,
pretérito desejo,
que degusto 
no roçar da língua,
por espaços
docemente repletos
de suor e gozo,
que saciam
e rejuvenescem
pelo prazer 
deste desejo,
deste orgasmo,
desta alegria.

                               J R Messias

Deleitosa

De tanto matizar a vida,

vejo a pulsar como estrelas,

lampejos de teus cansados olhos,

ternura mestiça que me hipnotiza 

sempre a me provocar.

Esse nosso amor 

é uma auto estrada sem rumo,

rudimentar destino em 

imóvel melancolia,

trem sem trilhos,

paixão sem magia

de lábios sem beijo

Fome abstrata de um 

de um tempo estático,

que por entre as almofadas

de nossa alcova, no 

espaço exato de nossos

corações, onde

eclode a ruptura de corpo e alma

desta busca de teu farol,

de bruta castidade.

                               J. R. Messias